Banner 5 Blog
TABLET Banner 5 Blog
MOBILE Banner 5 Blog

Como começar um negócio do zero? Aprenda tudo neste guia completo!

começar um negócio do zero

Compartilhar:

Começar um negócio do zero exige trabalho e não acontece do dia para a noite. Mas os mais de 500 milhões de empreendedores no mundo mostram que, apesar das dificuldades, muita gente consegue apostar no empreendedorismo.

A falta de recursos não é uma barreira incontornável, e muita gente atua por conta. No Brasil, por exemplo, mais de 50% dos empreendedores são individuais. É o país com mais empresários por conta do mundo, com uma boa distância para Madagascar, o segundo colocado.

Mas isso não significa que empreender não seja desafiador. Você ainda vai precisar entender seus objetivos para definir bem o tipo de negócio ideal. A ideia do texto é contar o que é preciso para começar um negócio do zero. Vamos lá?

Como saber qual tipo de negócio abrir?

Se você tem dúvidas sobre o tipo de negócio, pode começar escolhendo um mercado grande, com uma boa margem. Isso significa que a sua participação no mercado justifica a criação da empresa. Mas, para saber isso, talvez seja necessário conhecer os grandes players

Procure conferir se estão lucrando e qual é o espaço que existe no mercado para você. Você ainda pode tomar cuidado com os mercados com gatekeepers, ou seja, marcas influentes o suficiente a ponto de “fechar as portas”. Isso acontece quando há empresas muito estabelecidas, capazes de interferir no rumo do mercado. 

Nesse caso, a concorrência se torna desleal. Confira a existência de barreiras regulatórias, comuns no Brasil. Por fim, você pode apostar na “arbitragem de ideias” — copiando ideias de negócios bem-sucedidos em outros países e aplicando no contexto do Brasil. 

Quais são os nichos de mercado mais rentáveis?

Embora seja difícil estimar com segurança nichos lucrativos, algumas demandas provocadas pela adoção da tecnologia durante a pandemia de Covid-19 fizeram com que vários setores fossem observados com mais cuidado em 2022.

É o caso do mercado financeiro. A pesquisa EXAME/IDEIA mostra o nicho como uma opção promissora graças ao maior número de adeptos no mundo dos investimentos. Aqui, opções virtuais como as criptomoedas também chamam atenção.

O mercado para pets também ganhou destaque e seguiu faturando mesmo durante a pandemia. Uma pesquisa do Monitor Mercantil revelou o crescimento ao longo de 2020 e 2021.

O que você deve evitar ao iniciar um negócio?

Confundir o lado pessoal e profissional, tratar a marca como hobby e pular o planejamento estão entre os principais erros ao começar um negócio do zero. Você já vai entender o porquê.

Lidar com a empresa como hobby

Embora o gosto pessoal seja importante para fazer com que a empresa dê certo, não é o suficiente. Afinal, gostar de carros não faz com que você seja um bom empresário do ramo automotivo.

Por isso, a escolha da área de atuação não deve basear-se apenas no que você gosta. Ter um hobby não é o suficiente para transformá-lo em um negócio de sucesso, ainda que possa ser um bom norte.

Mesmo que você transforme uma diversão em empresa, vale ter em mente que a atividade não vai ser só isso. A parte administrativa, por exemplo, vai consumir uma boa parte do seu tempo.

Esquecer o plano de negócios

O plano de negócios traz informações úteis para a empresa, sendo importante para definir os riscos, conferir alternativas e evitar erros de decisões. Aqui, pontos como os clientes, fornecedores e concorrentes aparecem.

Embora o ideal seja ter o plano de negócios pronto antes de empreender, nem sempre isso é possível. Ainda assim, procure fazer um planejamento flexível. Afinal, o negócio pode apresentar-se de forma diferente do planejado.

Aqui, entra um conceito chamado “modelagem de mercado”. A ideia explora a criação de um modelo de negócios que muda de acordo com as interações de mercado. Vale fazer a elaboração com alguns meses de antecedência.

Errar no ponto comercial

Não adianta pôr um produto para vender em um ponto comercial sem demanda. A escolha faz diferença para a longevidade da empresa, e isso tende a passar por uma análise da concorrência.

Por isso, você pode precisar ir a campo e pesquisar bem seu mercado. Muito do sucesso é definido pela localização, e a maior parte dos clientes frequenta pontos comerciais pouco distantes.

O ideal é ter em mente várias opções de bons pontos. Com poucas escolhas, as chances de o negócio dar certo são menores, já que há menos poder de barganha. Aqui, é importante ser realista na hora de definir valores.

Confundir vida pessoal com profissional

Cuidar de uma empresa envolve uma boa gestão financeira. Mas a tarefa pode tornar-se mais difícil se você misturar os gastos empresariais com os pessoais. Aqui, a confusão contábil acontece ao tirar uma parte do fluxo de caixa da empresa para pagar as contas de casa, por exemplo.

Mas a separação não se resume apenas à conta bancária. As reuniões, por exemplo, precisam focar no trabalho, ainda que exista uma relação pessoal entre os sócios. O mesmo vale para os que levam as tarefas da empresa para casa, criando uma relação cansativa com a marca.

Por fim, você tem a possibilidade de apostar em um pró-labore fixo. Assim, há mais organização para não tirar o excesso dos lucros da empresa. Se você é individual, uma opção é definir um salário fixo separado do dinheiro da marca.

Minimizar os gastos

Uma das principais indicações para empreender é a previsão das despesas e de indicadores como lucratividade e rentabilidade. Mas, às vezes, as contas podem sair além da previsão. Por isso, vale dar prioridade para estimativas pessimistas, preparando-se para vários cenários.

Aqui, você pode fazer o cálculo do capital de giro. Esse é o dinheiro exigido para fazer com que a empresa funcione, sendo usado para funções como compra de estoque. Nem sempre o tempo de retorno é curto.

Um capital de giro costuma significar entre 50% e 60% da verba para fazer a empresa funcionar. O uso varia de acordo com o tipo de negócio. Um negócio virtual, por exemplo, pode precisar de mais investimentos em mídias digitais do que uma loja física.

Exagerar no otimismo

Alguns materiais com tom mais motivacional sobre empreendedorismo incentivam o otimismo nos empreendedores por meio de promessas de sucesso e força de vontade. Ainda assim, é preciso ter cuidado.

O ideal é começar um planejamento com um conjunto enxuto, com poucos gastos. Dessa maneira, com as poucas vendas do início, é possível cobrir os custos sem mexer na reserva de emergência.

Embora alguns empreendedores sejam bem-sucedidos ao gastar toda a reserva de dinheiro pessoal na empresa, essa costuma ser uma manobra arriscada e pouco recomendada. O dinheiro idealmente investido vem do próprio lucro.

Dar pouca importância para a burocracia

Em pequenos negócios, as obrigações com os funcionários são a principal preocupação burocrática. Por isso, vale ficar de olho nas exigências da justiça trabalhista. Aqui, advogados e contadores podem fazer a diferença.

A burocracia dificulta o empreendedorismo em alguns nichos. Desde a Constituição de 1988 até hoje, mais de 5 milhões de novas normas surgiram. Se a parte tributária fosse reunida em um livro, teria, aproximadamente, 40 mil páginas e o peso de dois hipopótamos

Isso faz com que o tempo para uma empresa cumprir com todas as obrigações tributárias seja longo. Para as empresas, a quantidade de horas passa das 1.500. Por isso, sua dedicação ao core business da marca pode precisar ser dividida.

Persistir em negócios pouco promissores

Embora seja importante buscar alternativas antes de desistir, o ideal é evitar perder todas as suas reservas com um negócio que não deu certo. Por isso, vale prestar atenção nos sinais para desistir ou recuar.

O primeiro é as finanças persistentemente no vermelho. Se as contas não fecham por muito tempo, você pode parar e refletir sobre a viabilidade do negócio. Resultados continuamente negativos no dinheiro prejudicam a vida pessoal do empreendedor.

Contudo, um negócio pode prosperar, e, apesar disso, você dispor de pouca paixão. Se não há prazer ao cuidar da empresa, você tem dificuldades para lidar com a pressão dos clientes e administrar conflitos. 

Ignorar o diferencial

Na hora de definir seu empreendimento, o ideal é conferir o que sua ideia tem a oferecer de diferente. Com esse entendimento, a abordagem comercial aos clientes, fornecedores e investidores fica mais fácil.

Se você ainda tem dúvidas sobre seu diferencial e sua vantagem competitiva, pode colocar-se no lugar de consumidor e perguntar para si mesmo por que fechar com sua empresa e não com outras. Procure questionar-se como oferecer uma solução melhor.

A inexistência de outras empresas resolvendo o mesmo problema geralmente é um bom sinal. Afinal, o pioneirismo é uma das poucas formas de empreender sem concorrentes diretos.

Investir precipitadamente em negócios da moda

O “efeito manada” leva ao investimento nos negócios da moda. Mas não existe dinheiro fácil, e segmentos aparentemente lucrativos podem ser uma furada. As lojas de paletas mexicanas são um exemplo popular de tendência que não se manteve em pé.

Isso faz com que poucas empresas realmente faturem com produtos-tendência, principalmente porque há poucas informações sobre a novidade. Assim, fica difícil identificar o que é demanda real e o que é uma bolha cíclica.

Outro problema é a dificuldade de precificação. Com uma quantidade alta de empresas apostando no mesmo segmento simultaneamente, a concorrência pode fazer com que os preços não sejam tão altos.

Como iniciar um negócio do zero da forma correta?

Começar um negócio do zero passa por usar o dinheiro que você investiu na ideia da melhor forma possível. Às vezes, o motor por trás do empreendedorismo é o desemprego, o que faz com que as opções baratas ganhem espaço.

Considere opções baratas

É possível começar um negócio do zero com pouco dinheiro, mas isso depende de uma boa estratégia para escolher o empreendimento e fazer ele decolar. Alguns empreendedores começam usando a empresa como um complemento à renda principal.

Aqui, você pode iniciar na fase do “mínimo produto viável” — uma espécie de versão preliminar já comercial, mas constantemente melhorada e remodelada do seu produto. Desse modo, você aprimora sua solução de acordo com o feedback.

Vale ter em mente que o ideal é gastar pouco no processo para conseguir os primeiros retornos dos consumidores. Com esse pouco investimento, você pode colher informações para definir bem o perfil do cliente.

Busque informações e parceiros

Um exercício possível é fazer uma lista de amigos que podem oferecer ajuda sem hesitar. Essa vai se tornar sua rede de apoio, e dessa relação você pode tirar alguns dos seus futuros colaboradores.

Outro ponto que conta é a busca por conhecimento. Existem vários cursos de empreendedorismo disponíveis, alguns com aulas na web. Algumas formações universitárias, como os MBAs, exploram o assunto.

Trabalhar com empreendedores bem-sucedidos também ajuda, assim como trocar experiências com outros iniciantes em situação parecida. Muito conhecimento ainda tem a chance de vir do autodidatismo.

Encontre um problema não solucionado

As empresas nascem para solucionar problemas. Esses podem ser muito específicos, como a demanda por pães em um bairro qualquer que dá origem a uma padaria; ou mundiais, como a demanda por navegar na web com praticidade que deu origem ao smartphone.

Às vezes, o problema é conhecido por conversas com um possível cliente. Em outros casos, o consumidor em potencial nem sabe que precisa da solução até ela dar as caras. Por isso, alguns empreendedores se deparam com o desafio de empreender em um mercado que ainda não existe.

O benefício é a novidade, ajudando na divulgação da empresa e na motivação dos clientes. Afinal, a novidade desperta curiosidade. Mas transmitir o conceito de um novo mercado pode não ser uma tarefa simples.

Proponha uma solução

Desenhar uma solução fica mais fácil quando o problema é bem definido e as pessoas que passam por ele são especificadas. Aqui, vale desenhar as características da solução e estabelecer seus benefícios.

Essa relação de benefícios é chamada de “proposta de valor”. Por meio dela, você justifica a razão pela qual o cliente deveria optar por sua empresa e não por outras. A partir daí, você pode testar a ida com clientes em potencial.

Um exercício possível é apresentar a ideia para os amigos. Se eles não ficarem comovidos e você tiver dificuldade para explicar, pode voltar e tentar novamente. Na proposta de valor, você pode levantar pontos emocionais, funcionais, pessoais ou de impacto social.

Crie um modelo de negócios

O modelo de negócios revela o caminho que a empresa vai seguir na produção e na entrega dos produtos, sendo útil para criar valor. Aqui, você pode levantar os canais, os recursos, os estágios, a lógica financeira, e por aí vai.

O ideal é contar com um modelo fácil de entender, visualmente rico e sucinto o suficiente a ponto de caber em uma página. Se o da concorrência for similar ao seu, a competição pode ir para outros campos — como o preço.

Um dos modelos mais famosos é o “Business Model Canvas”, que relaciona em blocos itens como proposta de valor, recursos-chave, estrutura de custos, fontes de receita, parcerias chave, segmento e vários outros pontos.

Comece devagar

O empreendimento costuma estar mais próximo de dar certo se você andar um passo por vez, evitando gastos muito acima da sua capacidade de receita. Aqui, um caminho é começar por conta, contratando apenas com o negócio consolidado.

Com um grau de investimento modesto, você pode usar a residência como local de trabalho no começo. Algumas das gigantes da tecnologia começaram como empreendimento simples em garagens.

Nesse caso, é possível alcançar os clientes por meios digitais baratos, como as redes sociais. Nesse modelo, a formalização mais indicada é a de Microempreendedor Individual (MEI), trazendo uma tributação simplificada.

Elabore um planejamento

O planejamento é a base do negócio, mesmo quando não detalhado. No plano de negócios, você pode definir as referências de como a empresa vai funcionar, analisar as opções e evitar erros na tomada de decisão.

Você pode compor o plano de negócios com itens como sumário executivo, apresentação da marca, apresentação do produto, análise do mercado, planejamento de marketing, planejamento operacional e planejamento financeiro.

Modelos de negócios como o Business Model Canvas também aparecem aqui. Com todos esses itens incluídos, o documento reforça uma visão holística da marca e ajuda a testar sua viabilidade.

Conheça seu perfil

O autoconhecimento é importante na hora de começar um negócio do zero. Confira se você tem conhecimento na área e se considera estar no mesmo segmento daqui a vários anos. Para empreender, você vai precisar ter aptidão para altos e baixos, riscos e incertezas.

Mas algumas pessoas preferem a previsibilidade. Nesse caso, conviver diariamente com recursos instáveis, riscos e oscilações torna-se algo perturbador. Aqui, ficar em um negócio não consolidado talvez não seja a melhor escolha.

Parte do trabalho ainda envolve resiliência. Empreender pode extrair a capacidade de superar o adverso nas pessoas. Por isso, a experiência na jornada varia muito de acordo com o perfil.

Tenha uma proposta simples

Se você tivesse que explicar sua ideia de empresa em poucas palavras, o que diria? Ter uma proposta fácil de compartilhar conta na hora de começar um negócio do zero, já que os clientes vão precisar entender as vantagens pelas quais estão pagando.

Aposte em diferenciais fáceis de serem entendidos. Se tiver que se esforçar muito para fazer com que os pontos fortes sejam entendidos, pode ter dificuldades para ser aceito. As necessidades mal-atendidas e as vantagens são um bom norte para elaboração da proposta.

Você pode definir bem a razão pela qual os consumidores procurariam a sua solução. Um conceito para isso é o “job to be done”, a tarefa que o cliente quer executar ao procurar por um produto.

Frequente eventos sobre empreendedorismo

Fóruns, palestras e encontros são uma forma simples de aprender sobre empreendedorismo. Há vários centros de empreendedorismo que oferecem eventos gratuitos ou de baixo custo.

Aqui, você também pode fortalecer seu networking e interagir com possíveis parceiros. Assim, a rede de relacionamentos fica pronta antes mesmo de você precisar dela. Uma forma de descobrir os eventos é buscando nas redes sociais dos centros de empreendedorismo.

No networking, você passa a cultivar uma série de relações úteis para criar projetos em comum, encontrar profissionais e vários outros pontos. Por vezes, selecionar os potenciais contatos antecipadamente ajuda.

Quais são as etapas seguintes?

Agora que você já sabe como começar um negócio do zero, talvez esteja se perguntando sobre o que fazer depois. O desafio de adquirir clientes é provavelmente o primeiro com o qual você vai se deparar.

Com uma empresa jovem, você vai validar a sua proposta por meio da aceitação dos consumidores. Se o produto não vende, o problema não é necessariamente o processo de vendas e pode estar na própria solução.

A aceitação dos clientes não pode ser dispensada, mesmo para ideias boas. Em pequenas empresas, você tem a opção de contornar as limitações de orçamento por meio de estratégias criativas, como promoções e inovação nas propostas.

Por que diversificar o pagamento?

Ao começar a vender, você vai se deparar com várias formas de pagamentos do mercado. Isso inclui opções como crédito, Pix, débito, boleto bancário, e por aí vai. Cada uma corresponde a perfis diferentes de clientes.

O pagamento facilitado é uma aposta em uma melhor experiência de compra, trazendo conveniência e fazendo com que o cliente use seu meio favorito para comprar o seu produto e interaja com a sua empresa.

Uma máquina de pagamento condensa várias formas em uma única solução. Opções como as oferecidas pela Granito trazem alternativas como QR Code e NFC, com uma variedade de modelos para vários perfis.

Começar um negócio do zero é ser interessante para quem quer ser dono do seu próprio tempo, escolher o segmento, idealizar um produto, se responsabilizar pelo sucesso e deixar sua contribuição para as pessoas.

Mas empreender também tem suas dificuldades. Muitas empresas fecham por ausência de demanda no mercado, decisões empresariais ruins, dificuldades para conseguir financiamento ou barreiras governamentais.

Se você tem bom apetite para risco e está pronto para abrir mão das certezas, o empreendedorismo pode ser uma opção válida. Mas, para isso, vale informar-se. Na nossa newsletter, você recebe os conteúdos em primeira mão. Não deixe de assiná-la!

Manual completo para construir um plano de negócio eficiente

Artigos mais lidos

Tópicos

Granito, a máquina certa
para seu negócio

Receba os conteúdos da Granito

Fique por dentro de todos os conteúdos em primeira mão!

Sem spam. Desinscreva-se a qualquer momento.