BLOG

O que é e como funciona o Pix?

o que e pix 1536x1024 1

Compartilhar:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter

A chegada de novos meios de pagamentos e com várias propagandas na TV têm feito com que cada vez mais pessoas se perguntem: afinal, o que é Pix? O sistema funciona como o TED e o DOC, mas com alguns pontos positivos que as outras formas não tem.

Por exemplo, a gratuidade. Aqui, o sistema ajuda a diminuir os riscos de circular com dinheiro físico, oferecendo uma opção simples e prática. Para que os pagamentos sejam feitos, basta o uso da chave Pix.

Mas, se você ainda tem dúvidas sobre o que esse termo significa, vamos explicar ao longo dos próximos tópicos. Você vai descobrir o que é o Pix, como funciona, qual a diferença para as transferências tradicionais e como usar o Pix com a máquina de pagamento. Vamos lá?

O que é o Pix?

O Pix é um modelo de pagamento criado pelo Banco Central. Lembra-se do TED e do DOC? Eles têm algumas limitações. Por exemplo, o fato de ser impossível realizar transferência depois de certa hora do dia. A partir daí, é preciso esperar o dia seguinte.

As transferências em Pix se distinguem por permitirem o pagamento instantâneo, independentemente do horário, porém com limite de valor. Os modelos tradicionais ainda tinham outra limitação: o preço. Afinal, a maior parte dos bancos cobram TED e DOC, fazendo com que os usuários escolham bem o dinheiro que vão transferir.

O novo meio também contornou isso. As transferências podem ser feitas gratuitamente.

Como o Pix funciona?

Os pagamentos ou transferências do Pix exigem apenas que o usuário insira no app do banco a chave Pix — um código simples, que pode ser o CPF, e-mail, o número de celular ou até uma combinação de caracteres aleatórios.

Mas, se você usar Pix para receber um valor, sua chave é que vai precisar ser apresentada ao pagador. Caso a chave ainda não esteja cadastrada, é possível inserir os valores manualmente, como é feito TED ou DOC.

Outra possibilidade é o uso do QR Code. O mais comum é o estático, gerado pelo próprio banco. Assim, é possível fazer os pagamentos simples, sendo recomendado para pequenas empresas e micro-empreendedores individuais. Já o dinâmico, é exclusivo para cada transação e só pode ser gerado uma vez, sendo uma boa opção para as grandes marcas.

Vale a pena apostar no Pix para empresas?

Agora que você já sabe o que é Pix, talvez esteja se perguntando se o modelo realmente vale a pena, não é? Então, um dos principais pontos que pesam a favor é a facilitação do pagamento.

Isso porque a diversificação dos meios traz conveniência: o cliente escolhe a opção que considera mais simples. Algumas pesquisas ainda apontam que o Pix é um dos responsáveis por quedas menores no faturamento das empresas.

O cadastro para Pessoas Jurídicas é similar ao de clientes comuns, exigindo uma conta transacional mantida em um banco ou instituição. O registro pode ser feito por meio do app, sem restrições para o tamanho das empresas.

O que significa Pix?

Você provavelmente está acostumado a ver transferências como siglas, certo? DOC, por exemplo, significa Documento de Crédito. TED, por sua vez, abrevia a Transferência Eletrônica Disponível.

Mas com o novo meio, a coisa é um pouco diferente. Embora conte com só três caracteres, o termo não é uma sigla. Isso significa que Pix é um nome, batizado pelo Banco Central. O meio de pagamento conta com a palavra por ser fácil de associar com pixels e tecnologia — ideias com as quais você talvez entre em contato todos os dias.

Um pixel é uma das muitas unidades que compõem as imagens digitais. O termo une as primeiras letras de “picture element”, sendo adaptado ao vocabulário português. As câmeras dos celulares, por exemplo, são medidas em pixels.

Quais são as características do Pix?

O ponto forte do Pix é a economia que traz em relação as alternativas como TED e DOC. As chaves Pix são definidas com quatro informações: CPF, e-mail, celular e combinação aleatória. Aqui, vale ter em mente que a mesma chave não pode fazer parte de várias contas diferentes.

Clientes Pessoa Física podem criar até cinco chaves por conta, enquanto empresas criam até vinte. Embora a chave seja um facilitador, não é uma necessidade — já que as outras formas que citamos servem para quem ainda não criou a chave.

A principal razão pela qual as pessoas passaram a apostar no modelo é a facilidade e a praticidade. Isso é revelado principalmente pela adoção das chaves, presente em mais de 70% dos usuários.

Qual a diferença do Pix para as transferências tradicionais?

O Pix se diferencia dos outros meios que já existem principalmente pela rapidez e disponibilidade, já que não existem barreiras de dias e embora haja limite de valor no horário noturno. No TED, as transferências só são possíveis até as 17 horas. Após esse período, é preciso esperar o dia útil seguinte. Ainda há um limite de valores, com operações acima de R$ 5 mil não sendo permitidas.

Já o DOC conta com o dinheiro transferido apenas no dia seguinte. Aqui, vale o mesmo limite do TED. Ainda vale prestar atenção no fato de que esses modelos só funcionam em dias úteis.

O Pix, por sua vez, funciona em qualquer dia, sem burocracia. Ainda conta com um limite editável para evitar fraudes no período noturno e a possibilidade de reter transações para análise de risco. Para pessoas físicas e microempreendedores individuais (MEIs), o limite é de R$1 mil. Por fim, tanto quem envia quanto quem recebe é notificado, coisa que não acontece com o TED e o DOC.

Como usar o Pix com uma máquina de pagamento?

A forma que o Pix funciona varia de acordo com cada máquina. Na Granito, ele é disponibilizado com a Conta Digital Bmg Empresas. Não há taxas de manutenção, tarifas, burocracia ou custos, e as transações já caem na conta. Tudo via app.

Você pode começar cadastrando uma chave. O fato de a informação ficar visível para quem for fazer o pagamento faz com que os melhores números sejam os CNPJs ou as chaves aleatórias. Dependendo do sistema da máquina, você pode selecionar o Pix começando a venda normalmente e digitando o valor. 

Em seguida, defina a forma de pagamento, selecionando, por exemplo, QR Code. A partir daí, o código é gerado e aparece na tela. Aqui, o cliente pode escanear o código com a câmera do celular e finalizar o pagamento. 

Saber o que é Pix não só é útil para facilitar sua vida financeira, mas também a dos seus clientes. Vale ter em mente que o sistema está sempre sujeito a mudanças para ficar ainda mais seguro.

O Pix é uma das grandes apostas da Granito para as máquinas, contando com uma plataforma tecnológica forte, a empresa tem um sistema próprio desenvolvido do zero, com um hardware já adaptado às exigências do Pix.

Está a fim de trazer o Pix para seu negócio? A Granito conta com várias máquinas de pagamento disponíveis, para perfis diferentes de empreendedores. Você pode saber mais entrando em contato conosco!

Artigos mais lidos

Tópicos

Granito, a máquina certa
para seu negócio

Receba os conteúdos da Granito

Fique por dentro de todos os conteúdos em primeira mão!

Sem spam. Desinscreva-se a qualquer momento.