BLOG

Quais os tipos de fraude no cartão de crédito e como se proteger?

fraude no cartao de credito

Compartilhar:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter

Nunca estamos livres de golpes. Apesar de toda a tecnologia disponível, os criminosos ainda descobrem meios de praticar ilícitos.

Precisamos, portanto, encontrar formas de nos precaver contra essas ações. O conhecimento é a melhor arma que temos. Por isso, aproveite para conferir, neste post, quais são os tipos de fraude no cartão de crédito e quais medidas você pode tomar para se proteger!

O que é fraude no cartão de crédito?

Fraude no cartão de crédito é toda forma de crime que promove o uso indevido dos dados financeiros do titular por meio dessa forma de pagamento. Geralmente, os criminosos fazem compras em nome dessa pessoa, que se endivida sem ter adquirido nada — ela paga por produtos e serviços que são usados por terceiros que nem conhece!

Com o aumento nas vendas de cartão, maiores são as possibilidades de você ser vítima de alguma fraude.

Quais são os tipos de fraude no cartão de crédito?

O Brasil ocupa a segunda posição entre os países que mais são vitimados por fraude no cartão de crédito. Conforme a Global Consumer Card Fraud, o índice atinge 49%. Confira, a seguir, os principais tipos de fraude no cartão de crédito praticados no país!

Chargeback

Trata-se de uma contestação de pagamento. Os criminosos deixam de pagar o que compraram, valendo-se do estorno.

Clonagem de cartão

Essa é uma prática comum. Os criminosos colocam dispositivos eletrônicos em leitores de cartão para roubar os dados do titular.

Geradores de números de cartão

Nesse caso, uma ferramenta consegue produzir combinações numéricas diversas, até chegar a uma que equivale à de um cartão de crédito. Dessa forma, o criminoso pode efetuar suas compras.

Ligações para roubo de dados

São muitas as pessoas mal-intencionadas que fazem telefonemas em nome de bancos ou de outras instituições financeiras. Essa prática é conhecida como phishing, ou seja, é como uma pescaria — e o peixe, nesse caso, é o titular do cartão. Se ele morde a isca, o crime vai adiante.

Por meio dessas ligações, pessoas criminosas pedem confirmação de dados (número de cartão, código de segurança, entre outros) e, assim, realizam compras em ambientes digitais.

Troca de máquina

A máquina POS é trocada por outra similar. Essa máquina substituta contém os dados da conta de um terceiro. O resultado é que a empresa não recebe o dinheiro devido pelas vendas que realizou: ele vai para a conta da pessoa criminosa.

Na maioria dos casos, há alguém que atua dentro do negócio para praticar esse crime. Daí a necessidade de muito cuidado na contratação de funcionários.

Como se prevenir contra esses crimes?

Nem sempre é tarefa fácil se prevenir contra a fraude no cartão de crédito. O varejista está em constante vulnerabilidade, mas tomando algumas medidas, é possível reduzir os riscos. Veja algumas delas!

Procure uma parceria antifraude

Uma dica valiosa é procurar parceiros qualificados em soluções antifraude. Eles compreendem o contexto de cada caso e, assim, mapeiam as ações criminosas detalhadamente.

Os crimes costumam ser dinâmicos. As medidas preventivas devem, portanto, ser flexíveis também. É preciso utilizar tecnologia moderna, como inteligência artificial e machine learning (aprendizado de máquina).

A partir de uma base de dados sólida, é possível aplicar ferramentas de IA que analisam os hábitos de consumo nos ambientes digitais. Dessa forma, facilitam a identificação ágil dos padrões de ataques de hackers.

Essas ferramentas, usadas por empresas qualificadas, ajudam a reduzir a quantidade de fraudes. O importante é obter o equilíbrio entre capacidade humana e tecnologia avançada.

Monitore os indicadores

Três indicadores devem ser acompanhados no combate à fraude no cartão de crédito:

  • taxa de aprovação;
  • período de resposta;
  • índice de chargeback (prejuízo).

Se você conseguir zerar a fraude a um preço muito alto, não será vantajoso. É o que acontece quando as medidas preventivas acabam bloqueando clientes bons. Na verdade, esse tipo de prejuízo pode ser até maior que a fraude, e a própria reputação da empresa pode ficar comprometida.

A demora para aprovar um negócio não é positiva quando você considera a experiência do cliente. Muitos consumidores desistem de uma compra devido a essa burocracia — entre eles, os que são bons pagadores. O nível de confiança na marca tende a cair, prejudicando a qualidade no relacionamento com seu público.

Oriente os consumidores

Na maioria das vezes, os criminosos atacam primeiramente o consumidor pessoa física. Isso é fácil de entender, já que, para praticar suas fraudes, eles precisam dos dados financeiros dessas pessoas.

Quando a empresa consegue educar seus clientes sobre a gravidade da situação, terá dado um grande passo no combate às fraudes envolvendo cartões de crédito. É possível recomendar a criação de senhas fortes, a atualização de antivírus, o cuidado ao compartilhar dados, o uso de fontes confiáveis de informações etc.

Também é importante que você armazene e monitore:

  • dados sobre as tentativas de fraude;
  • registros de estornos;
  • informações sobre clientes problemáticos.

Esse banco se tornará uma valiosa fonte de informações para análises futuras, como verificações antifraude para o comércio eletrônico.

Compartilhe informações e conhecimentos

O varejista precisa sustentar redes de proteção contra fraude no cartão de crédito. Essa medida torna mais fácil identificar os padrões dos criminosos, possibilitando criar um escudo que barra os ataques cibernéticos. Assim, evita os prejuízos decorrentes.

Use sistemas de automação financeira

A tecnologia bancária utiliza, além das ferramentas comuns de prevenção a fraudes, o sistema de automação financeira. Podemos citar, como exemplo, o sistema que torna mais fácil a conciliação das finanças.

Ele permite a diminuição do índice de chargeback e, além disso, integra os pagamentos feitos por operadoras. Você consegue fazer, desse modo, uma avaliação minuciosa dos pagamentos.

Você pode contar com intermediadores de pagamento ou com processos que façam a gestão da entrega dos produtos, com a coleta da assinatura dos recebedores. A experiência de compra do cliente vai ser otimizada, já que representa mais segurança para ele também.

Há diferentes tipos de fraude no cartão de crédito. Você precisa conhecê-los e adotar práticas de segurança e prevenção, encontrando as melhores soluções para cada problema.

O que achou do post? Já aplica medidas preventivas em seu negócio? Aproveite para complementar o aprendizado e entenda um pouco mais sobre os principais pontos que envolvem a máquina de pagamento!

Artigos mais lidos

Tópicos

Granito, a máquina certa
para seu negócio

Receba os conteúdos da Granito

Fique por dentro de todos os conteúdos em primeira mão!

Sem spam. Desinscreva-se a qualquer momento.