Banner 5 Blog
TABLET Banner 5 Blog
MOBILE Banner 5 Blog

Empreendedorismo feminino: 6 histórias de mulheres que alcançaram o sucesso

Empreendedorismo feminino: 6 histórias de mulheres que alcançaram o sucesso

Compartilhar:

O empreendedorismo feminino é essencial para o desenvolvimento econômico e social. Cada vez mais mulheres estão se dedicando aos negócios e derrubando barreiras. Ao assumir a liderança, elas criam mais oportunidades e se tornam modelos para a próxima geração de mulheres empreendedoras.

Neste artigo, você vai conhecer a trajetória de algumas das maiores referências em empreendedorismo feminino. As histórias de sucesso dessas mulheres são fontes de inspiração para quem trilhar o caminho do sucesso. Boa leitura!

Empreendedorismo feminino avança com obstáculos a superar

No Brasil, 46% dos novos negócios são iniciados por mulheres, demonstra o Sebrae. A entidade destaca que 31% das empreendedoras têm um ensino superior completo, contra apenas 22% dos homens.

Devido à escolaridade maior, é de se esperar que elas faturem mais. No entanto, essa ainda não é a realidade. O estudo revela que 31% dos homens empreendedores têm renda familiar superior a seis salários mínimos. A proporção de mulheres nessa faixa de renda cai para 22%. O faturamento menor entre as mulheres reflete os obstáculos enfrentados, como:

  • pouco tempo: as empreendedoras dedicam menos horas do dia ao negócio em comparação com os homens, pois normalmente estão mais sobrecarregadas com outras tarefas;
  • baixa inovação: em geral, as mulheres empreendem em áreas pouco inovadoras, o que torna imprescindível o estímulo ao empreendedorismo feminino em setores mais promissores;
  • empreendedorismo por necessidade: entre as mulheres de baixa renda, os negócios são abertos por necessidade financeira, resultando em empreendimentos que nem sempre estão alinhados às oportunidades de mercado;
  • jornada tripla: o Sebrae identifica que as mulheres têm dificuldade para seguir programas de aperfeiçoamento, porque cumprem uma jornada tripla.

A entidade destaca, ainda, que os desafios são maiores para as empreendedoras negras. Isso demonstra que o acesso aos mercados e às oportunidades de mercado são desiguais, não apenas nas questões de gênero.

6 mulheres que alcançaram o sucesso como empreendedoras

A realidade apresenta uma série de desafios que o empreendedorismo feminino enfrenta no cotidiano. Nessa batalha diária, vale a pena considerar a trajetória inspiradora de mulheres que transformaram seus empreendimentos em empresas de sucesso. Confira algumas dessas histórias.

Luiza Helena Trajano – Magazine Luiza

Luiza Helena Trajano transformou o Magazine Luiza em uma das maiores empresas de varejo do Brasil. Nascida em Franca, no interior de São Paulo, começou a carreira no Magazine Luiza aos 12 anos, trabalhando no escritório da loja fundada por seus tios. O envolvimento precoce com a empresa ajudou-a a entender os detalhes do negócio.

Luiza estudou Direito e Administração e, gradualmente, conquistou posições de liderança. Em 1991, ela assumiu a liderança do Magazine Luiza e iniciou uma série de mudanças que impulsionaram a empresa. Um de seus primeiros atos foi investir em tecnologia.

A visão de Luiza estava à frente de seu tempo, pois ela percebeu a importância da digitalização antes de muitos outros. Foi por conta disso que, em 2000, lançou o e-commerce do Magazine Luiza, uma das primeiras grandes varejistas a realizar vendas online no Brasil e referência em transformação digital.

Mary Kay Ash – Mary Kay

Mary Kay Ash fundou a Mary Kay Cosmetics após enfrentar sexismo na indústria. A empreendedora do Texas (Estados Unidos) teve uma carreira difícil em vendas diretas, um campo dominado por homens. Frustrada com as barreiras de gênero, decidiu criar sua própria empresa visando a empoderar mulheres.

Com uma formação em vendas e um desejo de fazer a diferença, Mary Kay Ash fundou a Mary Kay Cosmetics em 1963. Ela valorizou o potencial feminino em um momento em que muitos não o faziam. Sua empresa foi estruturada em um modelo de vendas diretas, permitindo que as mulheres tivessem seus próprios negócios.

Sob a sua liderança, a Mary Kay Cosmetics se tornou uma das maiores empresas de cosméticos do mundo. Ela é lembrada por seu espírito empreendedor, sua crença no potencial das mulheres e seu compromisso com causas beneficentes.

Zica Assis – Instituto Beleza Natural

Zica Assis abriu o Instituto Beleza Natural com poucos recursos e enfrentando preconceito. Nascida e criada na comunidade do Catrambi, no Rio de Janeiro, Zica, como era conhecida, começou a carreira como cabeleireira de bairro. Ela percebeu a falta de produtos adequados para cabelos crespos e cacheados e decidiu criar sua própria solução.

Zica estudou e experimentou fórmulas durante uma década até desenvolver o “Super-Relaxante”, um produto inovador para tratar cabelos crespos. Em 1993, abriu o primeiro Instituto Beleza Natural. Atualmente, a rede possui 28 unidades de negócios em todo o Brasil.

O sucesso da empreendedora é um reflexo da sua visão, pois ela identificou e atendeu a uma demanda de mercado negligenciada por grandes empresas e salões de beleza. Zica conquistou diversos prêmios e foi citada pela revista Forbes como uma das 10 mulheres mais poderosas do Brasil, em 2013.

Helena Rizzo – Maní

Helena Rizzo é chef e co-proprietária do restaurante Maní, junto do seu ex-marido, o chef Daniel Redondo. Nascida em Porto Alegre, Helena iniciou sua carreira como modelo, mas logo descobriu sua verdadeira paixão: a culinária. Ela se mudou para São Paulo e começou a trabalhar em restaurantes, aprendendo com chefs experientes.

Estudou culinária na Espanha e, de volta ao Brasil, ela e Daniel abriram o Maní, em 2006, apresentando uma cozinha que mescla influências brasileiras e espanholas.

Liderado por Helena Rizzo, o Maní ganhou vários prêmios, incluindo uma estrela Michelin. Helena também foi nomeada a melhor chef mulher do mundo, em 2014, pelo ranking The World’s 50 Best Restaurants.

Cristina Junqueira – Nubank

Cristina Junqueira é co-fundadora do Nubank, um dos maiores unicórnios da América Latina. A empreendedora é de Ribeirão Preto, interior de São Paulo, e formada em Engenharia de Produção pela USP, em 2004. Três anos depois, mudou-se para os Estados Unidos, onde estudou Finanças e Marketing.

Em 2013, Cristina co-fundou o Nubank com David Vélez e Edward Wible. Eles tinham a visão de criar um banco digital centrado no cliente, que usasse a tecnologia para simplificar a vida financeira das pessoas.

O Nubank foi pioneiro na oferta de um cartão de crédito controlado por aplicativo, sem anuidade e com atendimento ao cliente focado na experiência do usuário. Rapidamente, a instituição atraiu milhares de clientes e expandiu suas operações para outros países da América Latina.

Sônia Hess – Dudalina

Sônia Hess, nascida em Brusque (SC), liderou a Dudalina, famosa marca de camisaria. Seu pai fundou a Dudalina em 1957, e, desde cedo, Sônia esteve envolvida no negócio familiar. Assim, compreendeu o mercado da moda.

A empreendedora estudou Administração e iniciou sua carreira na Dudalina, onde passou por várias áreas da empresa antes de assumir a presidência, em 2003. Ela foi responsável por incorporar novos processos à produção de novas tecnologias de confecção têxtil. Para isso, estudou o mercado quando viveu na Espanha, onde aprendeu novas técnicas.

Durante a sua liderança, a empresa se expandiu para novos mercados e lançou a primeira linha de camisas femininas. Hoje, a Dudalina é uma das marcas mais reconhecidas do Brasil, com presença em diversos países.

O Brasil está repleto de histórias inspiradoras sobre empreendedorismo feminino. Trajetórias como essas mostram a força e o potencial das mulheres para criar negócios de sucesso.

Quer saber mais sobre empreendedorismo feminino e oportunidades de negócios? Então, continue acompanhando nossas publicações no Facebook, Instagram, YouTube e LinkedIn.

Artigos mais lidos

Tópicos

Granito, a máquina certa
para seu negócio

Receba os conteúdos da Granito

Fique por dentro de todos os conteúdos em primeira mão!

Sem spam. Desinscreva-se a qualquer momento.