BLOG

5 desafios de um empreendedor iniciante e o que fazer para superá-los

desafios de um empreendedor iniciante

Compartilhar:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter

Talvez você precise passar por vários obstáculos no começo de um novo negócio. Os desafios de um empreendedor iniciante podem colocar em dúvida a ideia de abandonar a carteira assinada para dedicar energia à concretização de um sonho.

No entanto, se o empreendedor assume muitos riscos, também pode desfrutar de muitas recompensas. Por ser uma tarefa que pode se relacionar com a criação de novos serviços, produtos ou ideias, o empreendedorismo é visto como uma atividade criativa e inovadora.

Assim, é possível criar ou extrair valor por meio da elaboração, do lançamento e da administração de um negócio. A ideia do texto é contar quais são os maiores desafios de um empreendedor iniciante e o que fazer para superá-los. Boa leitura!

Quais são os desafios de um empreendedor iniciante?

Empreender não é simples, e várias empresas fecham nos primeiros anos por problemas de gestão, falta de financiamento, crises, pouca demanda, políticas do governo e por aí vai. Os empreendedores deslocam recursos para áreas mais lucrativas e, por isso, a atividade exige um certo preparo. Você já vai conhecer os desafios de um empreendedor iniciante.

1. Lidar com a falta de experiência

O início de um empreendimento pode ser um quebra-cabeça para quem empreende. A razão é o fato de que a atividade pode exigir habilidades variadas, como gestão de pessoas, elaboração de processos e adequação ao sistema tributário. Às vezes, a falta de experiência também acontece no próprio nicho de mercado.

Talvez você tenha experiência na gestão de lanchonetes, por exemplo, mas não em vendas por delivery via aplicativos. A solução é intuitiva: ler muito sobre o assunto e procurar ajuda de pessoas mais experientes. Você também pode complementar seu conhecimento com formações, cursos técnicos e cursos livres.

Contudo, a solução para alguns empreendedores é se aliar a pessoas experientes. Isso pode ser feito por meio da contratação de funcionários que têm histórico profissional longo e que já fizeram parte de empreendimentos similares. Se você gerencia um restaurante, por exemplo, pode contratar cozinheiros com know-how e carreira estabelecida.

2. Calcular corretamente os custos do negócio

Saber quanto a empresa vai custar e qual a quantia necessária para mantê-la funcionando enquanto não dá lucro são algumas das perguntas mais comuns na mente dos empreendedores. Realizar os cálculos pode fazer a diferença na hora de tornar o negócio viável, e isso não se resume apenas aos custos iniciais.

Se você vai comprar um carro, por exemplo, o preço talvez seja o indicador menos relevante. A razão é o fato de que há muitos gastos na conta: seguro, IPVA, manutenção anual, variações na gasolina e por aí vai. Sem o planejamento correto, torna-se impossível manter o veículo, e o mesmo vale para a empresa.

Por isso, vale prestar atenção no plano de negócios. Às vezes, o ideal é se planejar não só para um cenário. Vale estar preparado tanto para a abundância quanto para problemas nas vendas. O pior cenário é o das vendas zeradas, no qual o capital de giro teria que segurar as pontas por um ano. Assim, estar pronto para pouco faturamento conta bastante.

3. Tornar a empresa conhecida

É mais fácil comprar de uma marca com reputação do que de uma iniciante. Isso faz com que um dos principais desafios de um empreendedor iniciante seja conseguir os primeiros clientes. A divulgação pode envolver desde pagamentos de anúncios sofisticados até o simples boca a boca.

A internet trouxe a possibilidade de explorar nichos com abordagens mais específicas e pouco escaláveis. Você pode, por exemplo, procurar pessoas influentes nas redes sociais que atuam no seu mercado e apresentar sua solução a elas. Com a tecnologia, ainda existem soluções automatizadas e online.

O marketing da empresa se dedica à entrega de valor para explorar as necessidades do público. Por isso, pode depender de algumas ideias. Por exemplo, seleção do público-alvo, criação da persona, elaboração de campanhas publicitárias, trabalho de design de produtos, precificação, criação de descontos e entrega de garantias.

4. Seguir atraindo clientes após a estabilização da empresa

Os clientes não são uma torneira que segue jorrando para sempre. Por isso, em alguns momentos, você pode precisar reinventar a imagem da empresa e dialogar com o público. É para isso que servem trabalhos como o branding. Esse trabalho se inicia a partir de uma análise de como a marca é percebida pelo público.

A partir daí, passa para um planejamento de como a marca vai ser compreendida pelas pessoas, além da definição de sua identidade. Aqui, o principal objetivo é o desenvolvimento de um bom relacionamento com o público. Por isso, o trabalho passa por elementos tangíveis, como preço, aparência e embalagem.

No entanto, o branding foca principalmente em elementos intangíveis, como as experiências, a plataforma, o propósito, as relações e por aí vai. A relação que conta não é apenas a desenvolvida com os clientes, mas também com os fornecedores e os participantes da cadeia de suprimentos da empresa.

5. Ser um líder

A liderança é um dos garantidores de um bom trabalho, principalmente por ser um motivador. A ideia não é só ser um chefe, mas alguém que engaja as pessoas a compartilharem o mesmo sonho. Nesse caso, vale se especializar em áreas além da sua. Por exemplo, operações, financeiro e suporte.

A liderança é uma habilidade prática e depende da sua capacidade de influenciar socialmente e trazer os outros para uma tarefa comum. Mas nem todos os líderes são iguais. Existem estilos de liderança, como autocrático, participativo, orientado a relacionamentos, paternalista, servidor e por aí vai.

Os desafios de um empreendedor iniciante nem sempre são simples, mas sua superação é o que faz com que as invenções se traduzam em produtos e serviços. As marcas bem-sucedidas mostram que a persistência pode ser recompensada.

Empreendedorismo é um assunto estudado em várias áreas do conhecimento, como economia, gestão, história econômica e sociologia. Na abordagem funcionalista, o empreendedor é o alvo de estudos em suas características e traços.

Contudo, para se dar bem, vale conhecer os termos de contabilidade e finanças, entendendo se sua empresa está seguindo um bom caminho. Esse é o caso de palavras como lucratividade e rentabilidade. Confira o post da Granito sobre o assunto!

Artigos mais lidos

Tópicos

Granito, a máquina certa
para seu negócio

Receba os conteúdos da Granito

Fique por dentro de todos os conteúdos em primeira mão!

Sem spam. Desinscreva-se a qualquer momento.