taxas de juros

Taxas de juros: conhecê-las pode aumentar o rendimento de seus investimentos

Taxas de juros: muitas pessoas tremem só de ouvirem falar neste conceito, incluindo, até mesmo, pequenos empresários. Mas você sabia que, na verdade, isso não precisa ser tão temido assim? Afinal, elas são responsáveis por regular a economia e, também, estão envolvidos com concessão de crédito pelas empresas, rendimentos de investimentos, regulação da  taxa de câmbio, entre outros pontos importantes.

Mas como perder o medo e entender como elas influenciam em seu negócio, aumentando o rendimento dos seus investimentos? Essa é uma dúvida comum para muitos empreendedores que querem aproveitar um determinado capital para trazer maior rentabilidade para o negócio e não sabem como proceder.

Você tem dúvidas sobre este tema? Então continue lendo e vamos tirar suas dúvidas. Boa leitura!

O conceito de taxa de juros

Um dos exemplos mais simples para entender o que são as taxas de juros é pensar em como funcionam os empréstimos. Por exemplo, uma instituição financeira vai emprestar uma quantia para seu negócio. As taxas são, assim, uma espécie de “aluguel” sobre o tempo em que o dinheiro ficará disponível para seu negócio. Seu cálculo, normalmente, é realizado por meio de percentual cobrado ao mês (% a.m) ou ao ano (% a.a.).

A taxa está presente, também, justamente, nos investimentos realizados. Por exemplo, quando falamos em algumas aplicações de renda fixa, como o Tesouro Direto, é exatamente o movimento oposto.

Você comprará um título público federal, emprestando dinheiro à União. No final do período de vigência do título, você receberá o valor de volta, com um acréscimo (que é o rendimento da aplicação). Esse valor é mensurado segundo taxas de juros vigentes durante o período de validade do título.

É por meio disso que o capital gira, sendo uma importante forma de regular a economia. Por exemplo, se a instituição bancária não realizasse essa cobrança de juros sobre o valor devido, não seria recompensada pelo risco de emprestar dinheiro para um negócio. Por essa razão, a relação entre risco e juros está diretamente ligada: quanto maior o risco, maiores são os juros cobrados.

Isso vale, também, para investimentos. Por isso, os investimentos de renda fixa têm taxas menores do que as de renda variável, já que há um maior risco para o investidor. Entender isso é um primeiro ponto para auxiliar a definir os investimentos que você poderá fazer no futuro.

Também é importante entender que muitas empresas trabalham com concessões de créditos para os clientes. É nesse ponto que pequenos empresários iniciantes cometem muitas falhas: ao não entenderem isso, praticam taxas de juros baixas ou, ainda, inexistentes e, com isso, arcam com riscos incompatíveis.

Os tipos de juros

Demos um primeiro passo para entender o que são os juros. Agora precisamos avançar em mais um passo: os principais tipos de juros existentes. Quando você entende isso, consegue incorporar essas questões para potencializar o rendimento do seu negócio. Vejamos, a seguir, os principais tipos.

Juros Simples

Trata-se de um percentual fixo que incide sobre o valor inicial. Pense, por exemplo, na aquisição de um bem com o cartão de credito. Quando você faz a compra, é definido um valor de juros fixo, simples, que incide sobre o valor total, segundo o número de parcelas definidos previamente. Desta forma, o cálculo é feito sobre a quantia inicial.

Então, por exemplo, uma taxa de juros de 1% ao mês sobre uma quantia de R$ 1000, parcelado em 10x. O valor final será de R$ 1100 que, dividido pelo período de 10 meses, dará R$ 110 ao mês.

Juros Compostos

Os juros compostos tendem a ser mais complexos inicialmente, para serem compreendidos. São chamados, também, de juros sobre juros. Para que você entenda, o valor base de cálculo não é o montante inicial, mas sim o valor da parcela passada.

Pense, por exemplo, no cheque especial, um exemplo que tende a ser mais próximo de todos nós. O valor dos juros é calculado sobre o valor da dívida do último mês, e não sobre a dívida inicial. O mesmo vale para investimentos.

Assim, pensemos em um capital inicial de R$ 2000, com uma taxa de juros de rendimento de 5%. O valor dos juros no primeiro mês será de R$ 100, somando, ao final, R$ 2100. No segundo mês, o cálculo de partida será R$ 2100. O rendimento dos juros agora será de R$ 105 e ao final, você terá R$ 2205.

Assim, há um crescimento em curva exponencial, garantindo um crescimento rápido do aporte. E se você puder acrescentar valores mensais, melhor ainda. Assim, aumenta-se o capital sobre o qual os juros incidirão mês a mês, aumentando o seu lucro.

Outro ponto importante a pensar aqui também é sobre a importância do tempo de duração do fundo. Neste caso, os benefícios são maiores tanto quanto você fizer o investimento durar. Assim, se possível, é importante que sejam títulos de no mínimo um ano.

Juros de Mora

Como sua empresa pode trabalhar com fornecimento de crédito como uma forma de aumentar a rentabilidade, é importante conhecer, também, os juros de mora. É uma taxa que incide sobre dívidas que não foram pagas em dia.

Seria, assim, um reforço para que a pessoa arcasse com os valores, já que eles tendem a potencializar ainda mais a dívida. É o caso, por exemplo, de quando um contrato com uma empresa celebra a possibilidade da cobrança de juros de mora, caso o valor acordado não seja pago no dia correto.

Caso o cliente atrase, esses juros são cobrados para incentivá-lo a resolver a situação o quanto antes. Também é uma forma de ressarcir o risco ao qual seu negócio esteve exposto nessa ação.

Juros nominais

Essa modalidade é bastante utilizada em modalidades de empréstimo e financiamento pelas instituições financeiras. Isso porque, em alguns casos, é possível fazer a correção monetária (tanto do investimento quanto da dívida) segundo a inflação daquele período. No caso da opção pelos juros nominais, isso não acontece.

Vamos a um exemplo para ficar mais claro: uma empresa recebe um empréstimo de R$10.000 com a condição de pagar, após um período, o valor de R$ 20.000. A instituição cobra uma taxa de juros pré-definida para emitir os contratos necessários. O nome de “aparente” vem do fato de não ser levada em consideração essa taxa “X” cobrada por quem empresta o dinheiro e outras como a inflação, portanto o rendimento não é o “real”.

Nos casos em que os juros de investimento não consideram isso, você pode ter uma perda real sobre o valor investido. Esse é o caso, por exemplo, de quem investe, atualmente, na poupança, já que os juros não acompanham a taxa da inflação e não há correção do montante para os valores atuais.

Analisar isso é importante, justamente, para definir se determinado investimento é, de fato, favorável ou não. Muitas vezes, vale mais a pena assumir um risco maior, mas não ter uma depreciação no aporte inicial realizado.

Juros reais

Contrapondo a categoria que trouxemos acima, os juros reais incluem a inflação do período no cálculo, logo, o seu valor reflete realmente o retorno que será obtido no final de um determinado período.

Para deixar mais claro: a inflação está relacionada com a desvalorização do valor do dinheiro em um determinado período. Então se a sua empresa faz um investimento com duração de 3 anos, se não houver a correção, ela perderá o percentual acumulado neste período. E se a taxa de juros do investimento não for maior do que a inflação, isso poderá representar perda real, ao invés de rentabilidade.

Em um exemplo simples: digamos que você faça um investimento com taxa de juros 5% ao ano, sem correção da inflação. Ao final do ano, é comunicado que a desvalorização da moeda foi de 5,5%. Com isso, você não teve rendimento nenhum já que o poder de compra foi reduzido em um percentual maior do que os ganhos que você teve.

Juros rotativos

Os juros rotativos são cobrados quando, ao invés de pagarmos o valor total de uma fatura de cartão de crédito, pagamos seu valor mínimo.  Fazendo isso, no mês seguinte o valor da fatura é maior, o que pode ser bastante prejudicial e causar complicações no negócio. É atualmente, uma das maiores taxas de juros do mercado, incidindo em mais de 300% ao ano sobre a dívida.

Juros sobre capital próprio

Esse é outro tipo de juros que os empreendedores devem estar atentos, pois é uma possibilidade de remuneração para negócios formados por acionistas. Esse tipo de juros é visto como uma despesa para a empresa, e por um lado isso é bom, já que a empresa paga menos impostos. Mas quando o acionista recebe esse valor, o Imposto de Renda incide com uma taxa de 15% sobre esse valor.

Taxa Selic

Você com certeza já acompanhou no noticiário sobre a taxa Selic. Ela não é um tipo de juros, mas trata-se de uma tarifa básica do Brasil, sendo referência para boa parte dos investimentos realizados no país. Isso porque é por meio dela que há o controle da inflação e, também, do nível de investimento do país.

O valor da taxa é definido pelo Banco Central e pelo Comitê de Política Monetária (Copom). É com base nela que os bancos se baseiam para definir os juros que serão cobrados em serviços de empréstimos, financiamentos, entre outros. Também é por meio dela que há a vinculação com investimentos.

Por exemplo, o próprio Tesouro Selic tem a taxa de rentabilidade acompanhada pela Selic. Assim, se ela cresce, o rendimento aumenta. Se ela diminui, você receberá menos acréscimo no aporte. É fundamental acompanhá-la, pois quando está muito baixa, pode indicar necessidade de mudar seu investimento para outro título, a fim de aumentar suas vantagens.

Operações nas quais há cobranças de juros

Para entender como as taxas de juros fazem parte da vida de todo empreendedor, é fundamental compreender quais são as principais operações realizadas nas quais essa alíquota incide. São elas:

  • uso do cheque especial, como uma forma de compensar os riscos da instituição bancária em ceder crédito de emergência para um cliente que esteja apresentando riscos de inadimplência;
  • rotativo do cartão de crédito, que segue a mesma lógica do cheque especial, contudo, focado para transações realizadas com operadoras de crédito;
  • taxas de juros de investimentos: é o lado positivo para sua empresa, na qual é concedida uma remuneração sobre o investimento realizado. Isso porque, muitos deles são, na verdade, uma espécie de empréstimo do cliente final para instituições (bancos, Estado, mercado de construção civil, mercado do agro-negócio, entre outros).

A influência da taxa de juros no negócio

Muitas empresas operam com investimentos para potencializar seu capital de giro. Por isso, acompanhar as taxas de juros é fundamental para fazer boas escolhas e, assim, definir em quais locais você fará o seu aporte.

Além disso, esse conhecimento é interessante, também, nos casos em que você oferece crédito para clientes. Assim, saberá quais são as cobranças que devem ser realizadas, tendo maior clareza nos seus contratos.

Em um negócio ou empresa, cada centavo é valioso, por isso, entender como cada taxa de juros funciona ajuda também a planejar corretamente tudo o que será feito com o capital que a empresa já possui. Mas para administrar as finanças, antes de tudo, é preciso saber com precisão tudo o que entra ou sai do caixa da sua empresa e quais taxas são contratadas em seu negócio.

Com o portal automatizado da Granito é possível visualizar todo o movimento financeiro que acontece em seu negócio, por isso, fica muito mais fácil gerir sua empresa, prevenir prejuízos inesperados, e saber quanto e quando será possível investir.  Conheça também outras soluções da Granito que foram feitas para facilitar a administração do seu negócio.

E para mais conteúdos como este e tirar suas dúvidas, siga nosso perfil no Facebook, Instagram e Linkedin e não perca nenhum post novo.

marketing para negócios locais

Marketing para negócios locais: guia completo para implementar

Uma tendência ainda muito comum é que os responsáveis por negócios locais não deem a devida atenção para o marketing. Quem nunca ouviu a célebre frase “deixar essa gestão para os sobrinhos”, não é mesmo?

Contudo, isso pode causar sérios riscos para a vitalidade do seu negócio local. Afinal, pequenas falhas podem representar muito nessas situações. Por isso, é fundamental que você busque sempre ter a melhor gestão possível, a fim de trazer o crescimento necessário para o seu sucesso.

Se você quer se tornar um empreendedor de sucesso, é fundamental saber como estabelecer um bom marketing para negócios locais. Aqui, vamos apresentar um guia completo para auxiliar você a ter uma estratégia imbatível para pequenas empresas. Então, continue lendo e aproveite para tirar suas dúvidas sobre o tema.

O que é marketing para negócios locais?

O marketing para negócios locais diz respeito a um conjunto de práticas e ações que permitam promover uma empresa ainda pequena, que atue apenas em determinada região, permitindo que possa direcionar ações para conquistar mais clientes naquela área.

São estratégias utilizadas, principalmente, para empresas que têm lojas físicas ou, ainda, cuja natureza do negócio seja essencialmente focado para a região próxima. É o caso, por exemplo, de restaurantes, que só podem ter clientes locais, seja no espaço físico, seja no delivery.

É um conjunto de ações recomendadas para as mais diferentes áreas, tanto para empresas grandes quanto pequenas, unidades de franquias ou, até mesmo, filiais. Por isso, é importante pensar em formas de conquistar mais clientes, bem como fidelizá-los.

Além disso, é possível conseguir expandir sua atuação. Por exemplo, se você vende apenas para a sua cidade, é possível conseguir alcançar localidades próximas que seu negócio pode atender, de alguma forma.

Quais são os desafios do negócio que não faz marketing?

Você, com certeza, já ouviu a frase “quem não é visto, não é lembrado”. E olha que ela é antiga, não é mesmo? Mas vale muito para os dias atuais. Afinal, a internet proporcionou um espaço de grande vitrine para as empresas, e elas estão utilizando isso no dia a dia.

Com o cenário de crise trazido pela pandemia do novo coronavírus, essa questão se tornou ainda maior. Afinal, o número de abertura de novas empresas bateu recorde histórico em 2020. Diante das dificuldades geradas pela situação, muitas pessoas se viram com a necessidade de empreender para encontrar uma saída.

Com isso, o fato é que muitas áreas se tornaram ainda mais competitivas. Por exemplo, quem trabalha com preparação de alimentos para delivery, certamente, está vendo que muitos novos negócios foram abertos nesse momento.

Como se diferenciar e, assim, conseguir se destacar entre os concorrentes? Uma das formas é, justamente, por meio do marketing. Se você não cuida disso, provavelmente, vai ficar sem ser visto pelos seus potenciais clientes e será engolido por diversos outros concorrentes. Nada bom, não é mesmo?

Por que é importante contar com essa estratégia?

Como falamos, muitas empresas têm certa resistência em investir no marketing para negócios locais. Contudo, isso é um grande erro. Vamos mostrar, a seguir, os principais pontos que evidenciam essa importância. Continue lendo.

Auxilia a alavancar as vendas

Um dos principais motivos para contar com as estratégias de marketing para negócios locais é, justamente, conseguir trazer um maior número de clientes que possam ser fidelizados e, consequentemente, gerar um maior número de vendas. Por isso, quanto melhor forem trabalhadas essas estratégias, maiores as chances de bons resultados. Afinal, você consegue direcionar as pessoas certas, que tenham interesse em seu negócio, para visitar a loja.

Um dos motes que podem auxiliar a alavancar as vendas do seu negócio local é, justamente, estimular seu cliente a valorizar os lojistas da região, em detrimento das grandes marcas e E-commerces. Isso pode ser feito por meio da comunicação realizada por meio do marketing para esse fim.

Permite potencializar o atendimento presencial

Outro ponto importante é: como estamos falando de empresas locais, com muito foco presencial, é fundamental encontrar estratégias que permitam potencializar o atendimento pessoal. E o marketing para negócios locais pode ser um aliado nisso.

Afinal, há uma série de ferramentas que podem levar a uma melhora das ações dos seus clientes no ambiente presencial. Por exemplo, compras com desconto, facilidade no pagamento, ofertas exclusivas no ponto físico, além de outras questões importantes. Com isso, é possível conseguir conduzir a situação para aumentar as visitas no local. Muito bom, não é mesmo?

Possibilita expandir sua atuação

Talvez um dos pontos mais significativos seja, justamente, poder expandir sua atuação para além da sua região local. Afinal, com o marketing digital, é possível atingir outras localidades (incluindo, até mesmo, possibilidade de vendas internacionais). Isso era algo improvável há alguns anos, quando a internet ainda não permitia esse tipo de ação.

Melhora o relacionamento com o cliente

Quando falamos de um negócio local, tratamos de clientes que estão mais próximos da empresa. Muitas vezes, são aqueles que são fidelizados (ou têm potencial para isso) e que estão sempre presentes no dia a dia do negócio, gerando um laço afetivo com ele.

Com isso, o marketing gera a possibilidade de reforçar essas relações, bem como criar novas. Por exemplo, pense em um salão de beleza que tenha suas clientes fidelizadas, sempre interagindo com os canais do negócio. Quando elas se sentem motivadas, compartilham conteúdos sobre o local e, assim, fazem com que outras amigas e colegas conheçam o espaço e queiram agendar horários, por ter uma recomendação de confiança.

Isso é muito característico de negócios locais, por estarem inseridos em uma região específica. É muito raro ter esse estreitamento de laços, por exemplo, com empresas de E-commerce ou, então, com negócios que atuam em muitas regiões.

Favorece o conhecimento de hábitos de consumo locais

Outro ponto é permitir conhecer, com mais cuidados e eficiência, como são os hábitos de consumo daquela região. Isso é importante, por exemplo, para compreender quais são as tendências e demandas daquele lugar, e como você pode atendê-las.

Por exemplo, se você tem um negócio de varejo e quer abrir uma segunda unidade, é possível, por meio dos dados de hábitos de consumo locais, coletados durante as estratégias de marketing e vendas, pensar em qual região da cidade vale a pena investir. Com isso, suas ações podem ser mais certeiras.

Ajuda a chegar a quem busca informações online

Segundo pesquisa, 97% dos usuários pesquisam na internet antes de buscar uma loja física para realizar suas compras. Considerar isso é importante para pensar na importância do marketing para negócios locais. Afinal, para isso, é fundamental que você seja visto por quem faz essas pesquisas online.

Como implementar o marketing para negócios locais?

Uma dúvida comum de quem está começando a abrir um negócio é saber como implementar esse tipo de marketing no dia a dia. Afinal, se você ainda não tem um setor estruturado, como realizar as mudanças necessárias para esse fim?

Neste guia completo, não poderíamos deixar essa parte de fora, não é mesmo? Vamos trazer um passo a passo para isso, a seguir.

Faça um planejamento

Um primeiro ponto é: para adotar qualquer mudança em um negócio, é importante que isso seja feito de forma planejada. Isso porque há necessidade de pensar em uma série de questões que podem afetar seu negócio no dia a dia. Por exemplo, envolve investimento financeiro para um profissional especializado realizar esse tipo de ação.

Além disso, pode-se gerar mudanças importantes na estrutura interna. A adoção de dias promocionais na loja física exige planejamento financeiro para esse fim, de forma que os valores de descontos não gerem prejuízos para a empresa.

Por isso, é hora de colocar tudo na ponta do papel: o que é preciso para tornar suas ações de marketing para negócios locais mais efetivo? Quais soluções podem ser adotadas? Quais os custos? Todos esses fatores precisam ser analisados previamente, para traçar os objetivos a curto, médio e longo prazo.

Aqui, temos dois pontos fundamentais que não podem ficar de fora do planejamento: estabelecimento das metas e definição do orçamento. Tenha isso em mente.

Conheça o perfil de consumo do seu público

Essa questão anda em conjunto com a anterior. Isso é fundamental, principalmente, para que suas estratégias possam ser mais efetivas e o planejamento seja mais consistente. Por isso, invista também em identificar como o público local realiza suas compras.

Por exemplo, se a sua loja está em uma região central, que não é movimentada aos finais de semana, é fundamental investir em ações de divulgação que convoquem à ação durante a semana e, talvez, ter estratégias mais informativas nesses períodos de menor movimentação.

Com isso, você não queima ações com maiores chances de não ser efetivas, justamente, porque fogem do perfil de consumo do seu público. Com isso, há mais possibilidade de sucesso no seu dia a dia.

Defina os canais mais estratégicos

Esse é um fator fundamental, pois ele é profundamente estratégico: saiba quais são os canais que realmente são mais atrativos para seu público. Por exemplo, não adianta investir em ações no TikTok, se o perfil dos seus consumidores são gestores que tomam decisões em empresas. Eles não estarão lá.

Isso nos faz retornar ao padrão de consumo do seu público-alvo, principalmente, quando há pouco orçamento para realizar as estratégias e, portanto, torna-se importante que você precise restringir as ações a serem tomadas. O planejamento feito inicialmente é o que definirá o orçamento para esse fim.

Publique em redes sociais

As redes sociais continuam sendo uma das suas mais importantes aliadas para ter um bom marketing para negócios locais. Isso porque elas permitem que os usuários encontrem sua loja, seja pela indicação de página para seguir, seja por meio de anúncios ou, ainda, com a ação orgânica dos usuários.

Contudo, para que isso possa funcionar, é importante que você tenha uma presença constante nessas plataformas. Isso porque, segundo o funcionamento dos algoritmos, se você publica pouco, é porque seu conteúdo não é tão relevante, então, desaparece para os usuários. Enquanto isso, sua empresa pode ser engolida pelos concorrentes, que estarão atuando com presença constante no dia a dia.

Invista em segmentação

O marketing em redes sociais passa, necessariamente, por uma boa segmentação. Com isso, é fundamental que você consiga identificar qual o perfil do seu público. Por isso, é fundamental que faça uma pesquisa para identificar ou avaliar quais são os dados das suas redes sociais no momento.

O que fazer para começar a divulgar um negócio local?

Agora que você já sabe como implementar o marketing para negócios locais, é hora de conhecer as principais estratégias que podem ser adotadas para começar a divulgar sua empresa. Vejamos alguns pontos que podem auxiliar, a seguir.

Conte com o Google Meu Negócio

Uma das formas de ser visto pela população da região é investir no Google Meu Negócio. Afinal, essa ferramenta surgiu, justamente, para ser uma forma de dar suporte aos negócios locais. Nele, você poderá cadastrar sua empresa, bem como as características específicas, tais como:

  • endereço;
  • horário de funcionamento;
  • telefone;
  • distância que o usuário está do local;
  • fotos do estabelecimento;
  • opções (compra local, retirada, delivery);
  • site e redes sociais;
  • avaliação de consumidores.

Com isso, quando seu potencial cliente pesquisar sobre determinado produto na região, encontrará no Google as informações sobre seu negócio e, assim, poderá optar por conhecer o espaço.

Google Ads

Outra forma de conseguir ser visto pelos seus potenciais clientes é por meio do Google Ads. Essa ferramenta permite que você invista um valor para que, diante da pesquisa sobre determinadas palavras-chave, o usuário possa encontrar sua empresa no topo das buscas do Google, no espaço destinado aos links patrocinados.

Isso favorece que o perfil da sua empresa (seja um site, sejam redes sociais, E-commerce, landing page, entre outros) apareça com maior proeminência para quem realiza as pesquisas e, assim, desperte interesse pelos seus potenciais clientes, conseguindo uma melhor atuação.

Instagram

O Instagram é, atualmente, uma das principais redes sociais para quem está em busca de alcançar um maior número de pessoas e mostrar seu potencial, bem como estabelecer relações com seus clientes. Ele auxilia, principalmente, aqueles negócios que, de alguma forma, tenham apelo visual. Mas não só isso.

Por exemplo, você pode utilizar o espaço para criar conteúdos informativos para seus potenciais clientes e fazer com que eles aprendam mais sobre questões que sejam do interesse deles. Assim, pode-se chamar atenção deles que, compreendendo como você fornece conteúdo de qualidade e que gere valor, possa se tornar uma opção interessante.

LinkedIn

Para quem atua no setor B2B, ainda que localmente (por exemplo, fornecedores de fios para empresas da construção civil), um canal importante de abordar é o LinkedIn. Por meio dele, você pode compartilhar conteúdos que permitam a visualização da sua empresa por quem está em busca de profissionais dessa natureza.

Afinal, muitos gestores também estão lá buscando potenciais clientes e podem encontrar, nas publicações do seu negócio, um grande potencial de parceria.

Palavras-chave e hashtags

Outro ponto importante para conseguir divulgar seu negócio é saber como explorar palavras-chave nos buscadores e hashtags em redes sociais. Esses dois elementos são fundamentais para que você possa encontrar quem realmente se interessa por sua empresa.

Por exemplo, se um cliente está em busca de um “salão de cabeleireiro especializado em loiros”, ele buscará essas informações nos sites de pesquisa (como Google) ou, ainda, pela busca de hashtags para encontrar influências (no Instagram).

Por isso, saber trabalhar esses dois fatores permite indexar seus conteúdos, de forma que o cliente conseguirá encontrá-lo. Seguindo esse exemplo, você poderá trabalhar o site do salão para essa palavra-chave de cauda longa (“salão de cabeleireiro especializado em loiros”) ou, então, utilizar hashtags relacionadas (#loiros #loirosdegrife #platinado, entre outros). Esse é um ponto-chave de marketing nas redes sociais.

Marketing de conteúdo

O marketing de conteúdo continua em alta, principalmente, porque a geração de valor é uma questão cada vez mais valorizada pelos clientes. Afinal, o relacionamento com as marcas ajuda no interesse do público em comprar os produtos quando:

  • a marca se posiciona como autoridade no assunto;
  • está alinhada com seus valores e interesses;
  • desperta a sua atenção;
  • faz com que o público descubra coisas novas.

O marketing de conteúdo faz exatamente essa movimentação: indica todos esses pontos que listamos acima e gera uma melhor relação entre as partes. Quer ver um exemplo?

Voltemos à questão dos salões de beleza. Os conteúdos que auxiliam com indicação de tratamento de cabelos em casa, mostrem práticas do que faça você mesmo, indiquem produtos, mostrem cortes interessantes, entre outros.

Além de gerar valor para o seu público, isso aumenta o engajamento em seus perfis de conteúdo. Mais um exemplo sobre salões, portanto:

  • pense que a página criou um vídeo com dicas de como realizar umectação nos fios;
  • uma série de pessoas interessadas no tema passam a compartilhar em suas redes sociais o vídeo, pois é uma boa dica;
  • uma pessoa que seja amiga de quem compartilhou começa a seguir a página, pois gostou da sugestão e se identificou com aquele conteúdo;
  • ali, descobre que o salão realiza serviços que sejam de interesse dela;
  • marca um horário e se torna um cliente.

WhatsApp

Outra forma de divulgar e, inclusive, permitir que o cliente possa fazer compras, é por meio do WhatsApp. Recentemente, a empresa permitiu que os usuários brasileiros pudessem realizar pagamentos por meio do aplicativo, o que facilitou o processo de vendas por ali para quem não tem site ou E-commerce. Mas não é só isso.

A solução já vinha permitindo o seu uso para esse fim há algum tempo. Por exemplo, quando criou as contas Business ou, ainda, a inserção de catálogos para venda, permitindo que os clientes possam visualizar os conteúdos.

Com isso, é possível criar um espaço de vendas em uma aplicação que já faz parte do dia a dia das pessoas e, portanto, é de fácil acesso. Muitas vezes, o problema da dificuldade de conversão é, justamente, o uso de um outro aplicativo ou site. Ao estar no local que eles já interagem o tempo todo, torna-se mais fácil.

Link de pagamento

Você não quer perder a possibilidade de uma compra, não é mesmo? Por isso, utilizar o link de pagamento é uma forma de garantir que aquela conversão será realizada. Mas como funciona isso?

Como falamos, você pode utilizar diversos canais para proporcionar a compra para o cliente: WhatsApp, redes sociais, site, entre outros. Para facilitar o processo, direcionando-o para a finalização, uma das formas é realizar as vendas por link de pagamento.

Assim, você também não precisa ter a máquina de cartão sempre em mãos. Basta oferecer o link de pagamento por WhatsApp ou redes sociais. Para criá-lo, é preciso inserir nome do cliente, o e-mail e poderá compartilhá-lo rapidamente, dentro do nosso acesso ao cliente na Granito.

Afinal, não basta ter uma boa divulgação e falhar no momento de fechar a venda. Você já se esforçou muito para conquistar o cliente, para perdê-lo no processo de finalização, não é mesmo? Um aliado importante para isso é a Granito! Além do link de pagamento, facilitamos para que seu negócio local possa oferecer outras formas de pagamento que sejam atrativas para o cliente.

Outras dicas práticas de divulgação

Outros fatores importantes para você trazer para seu negócio e potencializar a divulgação são:

  • crie um site com blog para investir em marketing de conteúdo;
  • fique atento às novidades de redes sociais para ser pioneiro em algumas estratégias;
  • participe de feiras e eventos na sua área;
  • considere a estratégia de gifting;
  • utilize datas sazonais e feriados a seu favor;
  • seja criativo.

O marketing para negócios locais tem um papel fundamental para trazer maior crescimento e possibilidades de negócio. Por isso, não deixe de investir nas dicas que trouxemos ao longo deste guia completo, e temos certeza de que os resultados surgirão. Para alcançar o sucesso nas suas estratégias, não se esqueça de contar com boas parcerias de negócios.

Como falamos, estar atualizado e conhecer as melhores práticas é uma forma de trazer melhores resultados em suas ações. Então, assine nossa newsletter e acompanhe todas as nossas dicas imperdíveis para o crescimento da sua empresa.

capital de giro

Caixa e capital de giro

Caixa e capital de giro: como podem tirar sua empresa de um sufoco? Você sabe o que é capital de giro? Acha que esse é um conceito que só serve para empresas que estão começando? Muitos empresários não conhecem esse termo tão importante, por isso, não aplicam esse recurso na rotina de suas empresas.

Agora, mais algumas perguntas para você: como está o caixa do seu negócio? Ele tem sempre dinheiro disponível para pagar os seus fornecedores? Depois de saber como fazer conciliação de cartões para prever seu fluxo de caixa, é hora de entender como o capital de giro pode salvar a sua empresa e garantir que o seu caixa feche novamente no positivo.

Continue lendo para aprender mais.

Capital de giro: seu aliado desde o começo

O capital de giro é, simplesmente, o investimento necessário para financiar e garantir a continuidade das operações de uma empresa: gastos com fornecedores e estoque, despesas com funcionários e operacionais, e tudo o que for necessário para o bom funcionamento do negócio. Muitas vezes, é associado apenas à abertura da empresa.

Na hora de fazer um plano de negócios deve ser sempre lembrado. É uma questão que surge quando a empresa inicia suas atividades, mas que nem sempre é devidamente valorizada e muitas vezes se começa a operar próximo ao limite. 

Capital de giro não é só o investimento que você deve colocar na empresa para funcionar nos primeiros meses. É o valor que o negócio deve ter sempre disponível para garantir seu perfeito funcionamento. Por exemplo:

  • seus produtos devem estar sempre em estoque;
  • seus fornecedores devem receber quando combinado;
  • seus funcionários devem receber, normalmente, até o quinto dia útil do mês. 

Pense, agora, no seguinte: imagine que durante esse mês, o movimento da sua empresa está ótimo, com clientes comprando todos os dias, porém, pagando apenas no cartão de crédito. Chega o dia 5, e seu estoque está quase no fim, seus funcionários e fornecedores precisam receber.

É justamente aí que entra o capital de giro. Ele garante os recursos necessários para que você tenha sempre liquidez disponível em caixa, para financiar as operações básicas do seu negócio. O capital de giro ajuda a:

  • financiar clientes (em vendas a prazo);
  • garantir liquidez para compra e mantimento de estoque;
  • assegurar recursos para o pagamento de fornecedores;
  • garantir recursos para pagamentos de taxas e impostos;
  • certificar a liquidez do pagamento dos funcionários (salários e comissões).

Portanto, se a sua empresa compra e vende a prazo, mantém estoque ou deve pagar qualquer tipo de despesa, é essencial manter um capital de giro para assegurar sua saúde financeira. 

Capital de giro: segurança na saúde financeira

De acordo com dados do Sebrae (SP), quase 30% das novas empresas encerram seu funcionamento logo no primeiro ano e, mais do que isso, a metade (50%) delas não passam do quarto mês de exercício. Esses mesmos dados mostram que a maioria desses negócios fecha devido à falta de saúde financeira.

Após a análise dos dados dessa pesquisa, podemos entender melhor que o capital de giro é não só importante, mas essencial para a manutenção de uma empresa, desde o seu planejamento até sua implementação, começo de suas atividades e durante toda a rotina do negócio.

Como é calculado o capital de giro

Existem diversas maneiras de calcular o capital de giro, e empreendedores fazem isso de formas distintas, de acordo com a sua realidade e as empresas das quais são responsáveis pela gestão. O chamado capital de giro líquido (CGL), é influenciado por uma série de recursos, que incidem com maior ou menor grau de importância.

No entanto, existe uma fórmula bem simples, que pode ser definida como CGL = AC – PC. Nessa equação, o “AC” é o chamado ativo circulante, que é o caixa, contas a receber e até aplicações financeiras, por exemplo. O “PC” é o passivo, como contas a pagar, empréstimos e assim por diante. O resultado, portanto, é o capital de giro.

Diferença entre caixa e capital de giro

No meio do empreendedorismo, muita gente confunde o valor existente em caixa com o capital de giro. Apesar de estarem intimamente relacionados, não se tratam de sinônimos, embora sejam bastante complementares. O capital de giro, como falamos, de forma simplificada, diz respeito à diferença de entradas e saídas.

Já o seu fluxo de caixa está mais relacionado com a forma como o dinheiro interage e é administrado pela empresa, representando não apenas o resultado, mas sim, os movimentos de entradas e saídas de capital. Se, durante um período, você recebeu mais do que gastou, seu fluxo de caixa é positivo. Caso contrário, ficará negativo.

Benefícios de contar com o capital de giro

Agora que você já está mais familiarizado com o conceito de capital de giro e vem compreendendo melhor sua importância para a saúde financeira da sua empresa, vamos explicar um pouco melhor quais benefícios você pode experimentar ao contar com tal recurso disponível. Acompanhe.

Manter atividades operacionais em dia

Um dos principais benefícios de contar com o capital de giro é que ele permite manter as atividades operacionais em dia. Todo mundo sabe que o cenário ideal é sempre receber quantias suficientes para arcar com todas as contas recorrentes e extraordinárias, como aluguel, luz, internet, salários e assim por diante.

Entretanto, não é novidade que eventualidades acontecem e, muitas vezes, os recursos podem faltar. Nesse momento, o capital de giro é extremamente importante, evitando a inadimplência e, até mesmo, permitindo certo crescimento, com investimentos que sejam essenciais para reverter esse cenário.

Fazer investimentos cruciais para o negócio

Como dissemos, o capital de giro pode permitir o crescimento de uma empresa, e esse é mais um dos inúmeros benefícios de contar com esse recurso. Mais do que meramente continuar as operações comuns do negócio, a chave para a sobrevivência em um mercado tão competitivo quanto o atual pode estar no desenvolvimento constante.

Quem atua no varejo, por exemplo, pode utilizar o dinheiro para a aquisição de produtos para o estoque em períodos em que vendem mais, como feriados e datas comemorativas. Logicamente, isso demanda um bom planejamento de marketing, cujas ações também podem ser custeadas pelo capital de giro.

Estimular uma administração mais consciente

O capital de giro também acaba estimulando uma administração financeira mais consciente, fazendo com que o empreendedor saiba o momento certo de gastar e investir. Por se tratar de um recurso muito importante, se ele estiver em falta, haverá um claro sinal de que é preciso ajustar as finanças e tomar um pouco mais de cuidado.

Nesse momento, muitas vezes, é preciso reinventar e até rever operações, para não colocar a empresa em uma posição arriscada. A relação com o dinheiro muda e há um estímulo para uma economia mais consciente, controlando despesas e aproveitando melhor os ganhos, em um uso mais adequado para o capital já conquistado.

Dicas para manter um bom equilíbrio

Para aumentar seus conhecimentos, vamos dar algumas dicas úteis para que você conquiste um maior equilíbrio econômico. Confira. 

Conheça todas as suas despesas

Não dá nem para pensar em ter mais equilíbrio e investir na saúde financeira do negócio sem conhecer todas as despesas da empresa, não é mesmo? Por isso, você não pode abrir mão de fazer um levantamento de todos os gastos do seu empreendimento, mesmo os mais discretos. Obviamente, isso dará um pouco de trabalho e exigirá bastante organização.

Considere custos fixos e variáveis, como salários dos funcionários, comissões, água, energia, telefone, internet, impostos, fornecedores e assim por diante. Isso acabará sendo uma prática que ajudará a conquistar um maior controle sobre as saídas do caixa e até a descobrir eventuais perdas que você não percebia.

Analise suas fontes de receita

Da mesma maneira que você não pode abrir mão de conhecer muito bem as suas despesas, também é preciso analisar suas fontes de receita. Afinal, esses são os pontos cruciais na gestão do fluxo de caixa e para conhecer seu capital de giro, dando uma noção melhor de quanto você precisa receber para não ficar com o saldo negativo.

Para isso, você deve conhecer os prazos de recebimento, até para não comprometer as operações do seu modelo de negócio. Tudo precisa estar devidamente alinhado, evitando o pagamento de multas e juros por inadimplência. Também acaba sendo uma forma de programar ações de marketing e de aumentar as vendas quando necessário.

Realize projeções para o futuro

Por fim, depois de conferir todo o conteúdo até aqui, você pode usar seus conhecimentos para fazer projeções para o futuro, usando o seu capital de giro ou mesmo traçando estratégias para aumentá-lo. Obviamente, isso passa por alguns pontos, como um bom planejamento, um rígido controle de despesas e ações para o aumento das entradas de dinheiro.

Você pode tomar como base as análises de resultados anteriores e a atual situação do negócio, fazendo estimativas de quanto deve receber e gastar em curto, médio e longo prazos. Com isso, você consegue identificar desvios e antecipar imprevistos, efetuando as correções necessárias e definindo medidas para não passar por dificuldades. 

Não ter uma reserva para capital de giro na sua empresa pode acarretar diversos tipos de problemas, como a falta de pagamentos e entraves nas quitações com seus fornecedores ou funcionários. Além disso, pode causar falta de recursos para a compra de produtos essenciais e dificuldades nos pagamentos de despesas operacionais, como conta de água e luz, e muito mais.

Em suma, são fatores que podem levar a sua empresa a precisar de um empréstimo ou, até mesmo, decretar falência. Para evitar esse tipo de problema, a solução é mais simples do que parece: planeje e coloque em prática o capital de giro da sua empresa. Além disso, procure a Granito e descubra a melhor solução para o seu negócio.

Com a Granito, você pode escolher as melhores datas de pagamentos e até solicitar adiantamento de valores, sendo uma forma prática e segura de você controlar e monitorar seus recebimentos, e evitar surpresas desagradáveis. Por isso, não perca mais tempo: conheça nossos serviços e se surpreenda com nossas soluções!