Lucro X Faturamento: entender a diferença pode alavancar seu negócio

lucro e faturamento, e isso pode causar vários equívocos nas tomadas de decisões.   Não precisa ser um expert em contabilidade, mas saber a diferença entre esses termos pode alavancar seu negócio e ajudar a aumentar o lucro obtido.

Faturamento

O faturamento nada mais é que o dinheiro que a empresa recebe pela venda dos produtos ou serviços que ela oferece em um determinado período.   Ele indica se seu negócio está sendo sendo produtivo e se está atendendo às demandas dos seus clientes, mas não necessariamente que “sobrou” dinheiro.   Muitas empresas vão à falência porque o faturamento que elas obtêm não é suficiente para pagar suas despesas, nesses casos, não há lucro e a empresa acaba criando dívidas.

Lucro

O Lucro é tudo o que sobra depois que são pagos os gastos e impostos da empresa, e é por isso – como falamos anteriormente – que vender além do esperado nem sempre é sinal de lucro. Isso porque o lucro está diretamente ligado com os custos da sua empresa, que são de dois tipos: fixos e variáveis.   Entender que existem dois tipos de gastos é muito importante para calcular de forma correta o lucro que um negócio obteve. Saiba a diferença:  

Gastos fixos x Gastos variáveis

  • Gastos fixos: não mudam, independente da produtividade ter sido boa ou não, como a mensalidade da internet, o salário dos colaboradores e o aluguel.
  • Gastos variáveis: mudam de acordo com a produtividade e situações que acontecem na empresa. Por exemplo, se em uma construtora, acontece perda de material, será necessário fazer a reposição, logo, haverá mais gastos com a compra de novos materiais. Outras despesas como a água e energia também são variáveis. 

Lucro bruto x Lucro líquido

Depois de entender quais são os tipos de gastos que seu negócio tem, fica fácil saber a diferença entre o lucro bruto e o líquido:

  • Lucro bruto = Faturamento – gastos variáveis (o resultado é um lucro parcial, já que nem tudo foi descontado no cálculo)
  • Lucro líquido = Faturamento – todos os gastos somados (fixos, variáveis, impostos, etc) O resultado mostra o que de fato sobrou.

É muito importante entender um pouco sobre contabilidade e suas métricas, para não cometer erros que podem comprometer o bom funcionamento da sua empresa.   Com as soluções da Granito é possível acompanhar e gerir de forma fácil todo o movimento financeiro em cartões que acontece em seu negócio.   Isso significa mais praticidade e chances muito menores de se ter prejuízos e surpresas desagradáveis nas finanças de sua empresa.    ]]>

Cartão de crédito para empresas: controlar o fluxo de caixa pode ser mais fácil que nunca

Saber usar de forma correta esse tipo de cartão em seu negócio, facilita vários processos como maior controle de tudo que entra e sai do caixa da empresa, de forma centralizada, por meio de uma única fatura.   Confira abaixo como o cartão de crédito empresarial funciona e como ele pode ajudar seu negócio.

Como funciona o cartão de crédito empresarial?

O cartão de crédito para empresas funciona como qualquer outro cartão de crédito ou débito, mas se diferencia por conta das diversas vantagens que ele pode oferecer para o seu negócio como taxas mais baixas e o limite de uso que pode ser bem maior. Ele pode ser usado de forma coletiva na empresa para diversas finalidades, como por exemplo:

  • Assinatura de serviços como softwares
  • Pagamento de gastos fixos da empresa como internet e aluguel
  • Viagens empresariais

O limite no cartão de crédito pode acabar sendo muito útil em um momento de emergência, como a necessidade de compras de última hora, por exemplo.

Tipos de cartão para empresas

O cartão para empresas pode ser encontrado em dois tipos: corporativo e empresarial. Essa classificação se dá pela quantidade de faturamento da empresa, e o primeiro tipo oferece algumas vantagens a mais, como não ter cobrança de anuidade.   Ambos os tipos podem ser usados de forma individual ou coletiva, sendo que em usos coletivos, cada portador tem um limite próprio, que é pré-estabelecido, e o pagamento da fatura é de sua responsabilidade.   Quando utilizados de forma centralizada, todos os usuários têm o mesmo limite e só há uma fatura.

Quais são as vantagens de usar um cartão de crédito empresarial?

Além da facilidade na hora de controlar o fluxo de caixa da empresa, esse tipo de cartão pode oferecer outras vantagens para o seu negócio como:

  • Despesas centralizadas

Com o cartão empresarial é possível ver de forma muito simples tudo o que foi gasto, o que não acontece em empresas nas quais vários gastos são feitos simultaneamente por muitas pessoas, e o risco de descontrole financeiro é muito grande.

  • Mais flexibilidade na hora das compras

Por possuírem um limite maior e ambas as funções, crédito e débito, o empreendedor pode realizar compras de produtos ou serviços que não poderiam ser feitas por um cartão de crédito convencional.

  • Maior segurança financeira para o negócio

Com um cartão empresarial, é possível separar de forma simples os gastos pessoais dos corporativos, evitando confusões na hora dos pagamentos.

Como controlar gastos com um cartão empresarial?

Assim como um cartão de crédito comum, o cartão empresarial exige controle e planejamento na hora do uso, para evitar gastos desnecessários.     O uso dos cartões de crédito nas empresas tem se tornado cada vez mais comum pela facilidade que trazem e aderir a ele pode ajudar seu negócio.    Se você vende para outras empresas precisa estar preparado para as transações, por isso é importante que você tenha em seu negócio uma maquininha que aceitas as principais bandeiras de cartão de crédito do mundo corporativo. A Granito tem a maquininha ideal para cada tipo de negócio de micro a grandes empresas. Além disso, com o portão online é possível acompanhar todas as transações que acontecem a cartão, proporcionando maior controle do fluxo de caixa da sua empresa. Confira tudo o que a Granito pode fazer pelo seu negócio em: https://granitopagamentos.com.br/solucoes/]]>

[Infográfico] MEI: 5 dicas muito valiosas para conquistar e fidelizar clientes

Fazer um MEI ser produtivo e crescer não é uma tarefa fácil, independente do seu segmento, pois exige tempo, uma boa gestão e um relacionamento duradouro com os clientes.   Em meio a tantas outras opções disponíveis no mercado, criar nos clientes a percepção de valor correta do seu negócio não é mais que necessário, e pode transformá-lo em referência.   Isso significa que agir de forma estratégica pode fazer com que os clientes lembrem do seu negócio em momentos de necessidade, mesmo conhecendo seu concorrentes.   Então, se você quer que seu empreendimento esteja sempre presente na mente das pessoas, confira essas 5 dicas extremamente valiosas que ajudarão seu negócio a ser lembrado:

1 – Faça SEMPRE mais

Oferecer um atendimento de qualidade é primário, mas entregar mais do que as pessoas esperam com certeza pode garantir ao seu negócio uma parcela de participação muito grande na memória das pessoas. Portanto, independente do segmento da sua empresa, é interessante pensar em promoções, campanhas ou brindes que ajudem a fidelizar o seu cliente. Coisas pequenas podem fazer grande diferença na experiência de compra de cada consumidor.   Mas claro, é necessário planejar tudo antes para que as finanças do seu negócio não sejam afetadas.

2 – Comunicação: seu negócio precisa ser visto

Antes de ser lembrado, seu negócio precisa ser visto.   Tanto o meio offline (outdoors, placas, panfletos e etc) quanto o meio digital são ferramentas extremamente poderosas para fazer seu negócio ser conhecido, e muitas vezes são o primeiro ponto de contato das pessoas com ele.   Mas simplesmente ter um perfil ativo nas redes sociais ou colar cartazes pela cidade não é suficiente: é necessário pensar como seu público-alvo pensa, para estruturar mensagens que façam sentido e sejam atrativas, a ponto de criar nas pessoas o desejo pelo seu produto ou serviço.   Foque em avaliar quais são as necessidades dos seus possíveis clientes, saiba quais delas seus serviços podem satisfazer e planeje uma mensagem que além de comunicar o nome do seu negócio, mostre que ele também pode ajudar na solução dos seus problemas.   Portanto, INVISTA em comunicação, seja ela simples e orgânica ou até mesmo paga (anúncios), use provas sociais como depoimentos de pessoas que já conhecem seus serviços ou produtos e mostre que o que seu negócio oferece é realmente efetivo.  

3 – Feedbacks: Ouça o que o cliente tem a dizer

Não há ninguém melhor que o próprio consumidor para dizer o que pode ser melhorado para melhor atendê-lo.   E muitas empresas – de micro às grande porte – pecam nisso, pois constroem diversas estratégias que no fim não são efetivas, já que não atenderam às necessidades de quem deveria ser prioridade: o cliente.   Questionários e enquetes são formas muito simples de colocar isso em prática e podem acontecer tanto presencialmente quanto pelo meio digital.   Entendendo quais pontos podem ser melhorados você pode usar isso a favor do seu negócio, para se destacar fazendo o que os concorrentes têm deixado de fazer. Isso com certeza dará ao cliente a sensação de que seus serviços e produtos têm mais valor agregado.

4 – Parcerias: unir negócios pode ser muito útil

Ganhar reforços em meio à constante competição do mercado pode ser MUITO útil para alavancar seu negócio e criar ferramentas que podem ser usadas a seu favor.   É muito comum que empresas – principalmente MEI’s – se unam, a fim de aumentar sua rede de contatos, realizar compras conjuntas, trocar serviços em forma de permutas e até mesmo indicar e ganhar indicações de clientes.   Supondo que você firme uma parceria com um empreendedor de autoridade, que atue em um ramo que tenha ligação direta com o seu, e ele indique seus serviços aos clientes dele. Sua empresa ganha mais visibilidade, mais clientes e mais possibilidades de gerar mais receita. Da mesma forma, você também indica os serviços dele e seus clientes recorrem a ele futuramente.    Como é possível perceber, esse é um tipo de ação ganha-ganha, pois ambos os negócios são beneficiados.

5 – Pós-venda: momento chave para fidelizar

Muitos empreendedores perdem a chance de reter clientes porque ignoram o processo de pós-vendas. Surpreender o cliente após adquirir seu serviço ou produto ajuda o seu negócio a ser referência para o consumidor.   Acompanhar o cliente após o momento da compra faz com que ele se sinta seguro e confie em suas soluções. Além disso, futuramente, mesmo em meio a tantas opções, seu negócio é lembrado pela atenção e suporte oferecidos.   A hora do pagamento é sempre crítica. É o momento menos agradável de qualquer compra, por isso merece uma atenção especial. O processo deve ser rápido e eficaz. Com as maquininhas Granito você garante um processo automatizado, rápido e eficaz. Além de reduzir quase à zero a possibilidade de erros, que podem trazer muita dor de cabeça depois.   Conheça essa e várias outras soluções Granito que podem ajudar você, como MEI, a crescer: https://granitopagamentos.com.br/solucoes/]]>

Lei da gorjeta: entenda tudo o que mudou para funcionários e proprietários de bares e restaurantes

No entanto, até hoje muitos proprietários de estabelecimentos não sabem qual porcentagem podem sugerir que o cliente pague sobre o valor do serviço.   Entenda mais sobre a lei da gorjeta e como seu bar ou restaurante pode se preparar para agir de forma correta.

Entenda o “Antes e depois” da lei

No Brasil, nunca houve nenhuma lei que fiscalizasse de forma criteriosa a forma como essas taxas poderiam ser cobradas, tornando comum que alguns estabelecimentos cobrassem taxas exageradas.   O resultado disso: a clientela se sente pressionada na hora do pagamento e pode deixar de frequentar o local, o que não é nada bom para os negócios.   Mas há algum tempo foram feitas algumas especificações:  

Para os proprietários

  • A porcentagem de cobrança fica a critério do estabelecimento, podendo ser maior ou menor que 10%
  • Simples Nacional: estabelecimentos incluídos podem utilizar até 20% do valor total das gorjetas para custear despesas, e os não incluídos, até 33%
  • Estabelecimentos com mais de 60 colaboradores devem ter uma comissão que fiscalize como a gorjeta é distribuída

Para os colaboradores

  • O valor da gorjeta é incluído na remuneração do colaborador, e não no faturamento do estabelecimento
  • Mais voz ativa: acordos feitos pelos colaboradores do estabelecimento quanto à distribuição da gorjeta são decisivos, e têm o mesmo peso que a lei
  • Caso seja desrespeitado o cumprimento da lei, o colaborador recebe um valor específico de remuneração, limitado ao salário de sua categoria de trabalho (1/30 da média da gorjeta, por dia de atraso)
  • Como a gorjeta é considerada na remuneração, ela também serve de base no cálculo do 13º salário, FGTS e férias do colaborador

Por que seguir a Lei da Gorjeta no meu negócio?

É muito importante seguir corretamente essas mudanças, pois fazendo isso, seus clientes se sentem satisfeitos, seu colaboradores se sentem respeitados e seu negócio cresce de forma honesta. As maquininhas da Granito são a solução certa para auxiliar seu negócio e agradar a empresa e os funcionários. Com ela é possível repassar o valor da gorjeta diretamente para o funcionário, sem que esse dinheiro passe pelo caixa. Tudo feito de maneiro automatizada, através da própria maquininha.   Assim, você reduz o valor pago em impostos pelo estabelecimento e os funcionários recebem o valor integral das gorjetas. 0   Os clientes também ficam mais satisfeitos, já que podem escolher entre as opções de gorjeta na maquininha e pagar tudo em uma única transação.   Conheça mais sobre como a Granito pode ajudar o seu bar ou restaurante.]]>